ONS 27 é o Organismo de Normalização Setorial de Tecnologia Gráfica, credenciado pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) para elaborar Normas Técnicas para o setor gráfico brasileiro, além de participar de atividades de normalização de organizações internacionais, como a ISO e o MERCOSUL. O ONS 27 é composto por Comissões de Estudo que analisam documentos técnicos e normativos, tecem comentários e elaboram e/ ou adaptam Normas Técnicas e manuais de boas práticas. As Comissões de estudo são compostas por profissionais da indústria que fazem parte da cadeia produtiva relacionada a tecnologia gráfica, inclusive fornecedores e clientes.

NORMALIZAÇÂO

Normalização é a organização de processos por meio da utilização de regras, ou Normas, que orientam a forma mais adequada de realizar procedimentos.

Âmbito de atuação:

Normalização no campo da tecnologia gráfica compreendendo impressão e tecnologia gráfica desde o original para reprodução até o acabamento do produto, em particular quanto a composição, fotorreprodução, processos de impressão, acabamento e adequação de matérias-primas (papel, tinta e outras usadas na indústria gráfica) no que concerne a terminologia, requisitos, métodos de ensaio e generalidades.

O ABNT/ONS 27 tem o aporte financeiro do Sindigraf – Sindicato das Indústrias Gráficas do Estado de São Paulo.

Objetivos da Normalização

Segundo a ABNT, o objetivo da normalização é o estabelecimento de soluções, por consenso das partes interessadas, para assuntos que têm caráter repetitivo, tornando-se uma ferramenta poderosa na autodisciplina dos agentes ativos dos mercados, ao simplificar os assuntos, e evidenciando ao legislador se é necessária regulamentação específica em matérias não cobertas por normas.
Qualquer norma é considerada uma referência idônea do mercado a que se destina, sendo por isso usada em processos de regulamentação, acreditação, certificação, metrologia, informação técnica e nas relações comerciais entre Cliente e Fornecedor.

Importância da Normalização

As Normas Técnicas asseguram as características desejáveis de produtos e serviços, como qualidade, segurança, confiabilidade, eficiência, intercâmbio de informações e respeito ao meio ambiente. Além disso, a padronização reduz custos de produção e desperdícios.
Quando os produtos e serviços atendem às nossas expectativas, tomamos como o correto e não nos damos conta da importância da existência das normas.
Essa percepção acontece somente quando nos deparamos com produtos e serviços de má qualidade, que não se encaixam, são incompatíveis, não são confiáveis ou são perigosos.
Quando os produtos, sistemas, máquinas e dispositivos trabalham bem e com segurança, quase sempre é porque eles atendem às normas técnicas.
As normas têm enorme e positiva contribuição para a maioria dos aspectos de nossas vidas.
Para os governos, as normas proporcionam as bases tecnológicas e científicas que regulam a saúde, a segurança, a legislação e a legislação ambiental.
Para o comércio internacional, as Normas Internacionais criam uma “igualdade” para todos os concorrentes nesses mercados e também fornecem aos países em desenvolvimento uma base para decisões ao investir seus escassos recursos, evitando desperdícios.
Para o planeta, as normas sobre os aspectos ambientais de produtos podem contribuir para os esforços em preservar o meio ambiente.

Benefícios da Normalização

São inúmeros os benefícios trazidos pela normalização para a sociedade, mesmo que ela não se dê conta disso:
Padronização: de peças, equipamentos, produtos, insumos e materiais. A padronização é necessária para relações de compra entre indústrias, por exemplo.
Terminologia: a boa comunicação torna a transferência de tecnologia mais fácil e segura, as relações comerciais mais transparentes e as relações internacionais têm mais credibilidade.
Segurança: Requisitos de segurança padronizados protegem trabalhadores, consumidores, empresas e a sociedade.
Métodos de ensaio: Um acordo sobre métodos de ensaio permite comparações significativas entre produtos e desempenha um importante papel no controle de qualidade.
Economia: Indústrias padronizadas economizam energia elétrica, água, insumos e matérias-primas.
Menor impacto ambiental: Ambientes controlados tornam o ambiente mais limpo, geram menos resíduos, reduzem riscos de contaminação de água, solo e ar.